Dicas SIGMA

Investimento 

4 IDÉIAS de negócios em alta para investir em 2019

O ano está só começando e você ainda está em tempo de escolher um negócio lucrativo para aumentar suas receitas ou diversificar sua carteira de investimentos em 2019!

O ano de 2018 não foi nada fácil para alguns setores da economia, mas já há relatos de melhoria acontecendo em 2019. Mesmo com o cenário econômico mais otimista, ainda estamos em meio a muita incerteza, principalmente no que tange aprovações de reformas pelo governo.

Portanto, fique atento a situação do país, mas não deixe que isso te paralise e não fique esperando o momento certo, pois dificilmente ele existirá. Mesmo em momentos de “crise” existem oportunidades lucrativas para quem não tem medo de arriscar e colocar os planos em prática. Afinal, nada mais certo do que aquele velho ditado: “enquanto uns choram, outros vendem lenços!”.

A sugestão que damos a você, empreendedor, é que você fique atento às tendências de mercado, faça um bom planejamento, e tente levantar investimento sem precisar recorrer a empréstimos (encontre investidores que tenham o aporte de dinheiro necessário levantado no planejamento da operação).

Para ajudá-lo nessa decisão, fomos atrás dos negócios atualmente mais lucrativos e preparamos este artigo com os principais pontos que encontramos!

 

1. Alimentação saudável ou alternativa

Tivemos uma era industrial muito pesada e o único meio de comunicação dos benefícios alimentares eram feitos de forma extremamente comercial e por pouquíssimas mídias pagas, ou seja, os benefícios do produto eram ditos pelos próprios fabricantes com um objetivo único: obter lucro.

Como em vários outros setores, o avanço tecnológico auxiliou muito, tanto nas pesquisas quanto nas divulgações feitas sobre os benefícios e malefícios de cada tipo de alimentação.

O “boom” maior acerca da necessidade de uma alimentação mais natural se deu com as possibilidades trazidas pela internet, que abriu as portas para críticas e discussões sobre o tema, principalmente com o surgimento de várias doenças causadas pela ingestão de químicos e conservantes utilizados nas indústrias.

Essa real percepção de melhoria da saúde causados pela alimentação equilibrada provocou uma onda de pessoas que decidiram compartilhar suas dietas, fotos de “antes e depois”, relatos de cura de doenças como o câncer após ingestão prolongada de certos alimentos, e muitos outros relatos relacionados a melhora da saúde através da alimentação.

De tão grande que foi essa repercussão e a procura por certos alimentos, até mesmo as grandes marcas sentiram a necessidade de criar produtos e novas receitas para atingirem esse novo nicho (A Coca-Cola fez refrigerante com stevia, a Seara fez presunto com menos sódio, a Sadia criou uma linha saudável com o chef internacional Jamie Oliver, e diversas outras marcas nasceram somente com este propósito: Mãe Terra, Good Soy, BiO2, Fit2go congelados, e diversos outros).

A Euromonitor International fez uma pesquisa que mostrou uma média de crescimento de 12,3% ao ano no mercado de alimentos e bebidas saudáveis. Somente no ano de 2016, o segmento contabilizou R$ 93,6 bilhões em vendas no Brasil. É possível ver que mesmo nos anos de pior crise no país, este segmento teve crescimento expressivo, fazendo dele um ótimo nicho a ser investido.

 

2. Cuidados com animais de estimação (Pet shops e serviços)

Já não é de hoje que vemos o aumento da população mais velha e uma redução da natalidade em países mais desenvolvidos. O que estava apenas nas mídias internacionais já pode ser sentido aqui mesmo, no Brasil; que é o quarto país no mundo em número de animais de estimação, segundo a Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (Abinpet).

A correria do dia a dia e o aumento de mulheres trabalhando fora de casa é um dos fatores que contribuem muito para esses dados permanecerem nesta proporção.

A alternativa encontrada para suprir essa necessidade de composição da família é adotar um bichinho de estimação. Além de não necessitarem de atenção 100% do tempo, podem ficar sozinhos em casa e são bem mais práticos de cuidar, eles estão sendo a primeira, e talvez até a única escolha das pessoas. Alguns casais, adotam um animal de estimação para, inclusive, ter uma ideia inicial do que é ter um “filho” (dadas as devidas proporções, é claro!).

Com esse aumento, aumentam também o consumo de produtos para esses bichinhos. E é aí que entra o empreendedor, oferecendo produtos e serviços para atender essa demanda.

Entendendo o valor que as pessoas dão a seus animais de estimação é possível entender e até prever quais serão os serviços que serão necessários hoje e em um futuro próximo.

Serviços de saúde, alimentação e hospedagem já são bons e velhos conhecidos. Esses estão apenas inovando na forma da prestação do serviço, por exemplo, criando planos de saúde, alimentação saudável e equilibrada, e hotéis recreativos.

Outros serviços que estão sendo muito bem aceitos e crescendo ano após ano são os segmentos de beleza, estética, recreação e moda. Parece maluco, mas os principais estilistas mundiais estão colocando animais de estimação nas passarelas para desfilarem com as novas tendências.

Para escolher o melhor segmento para seu investimento é necessário avaliar o público alvo e sua região, pois alguns serviços são lucrativos apenas quando oferecido para pessoas com alto poder aquisitivo.

 

3. Economia compartilhada

Conceito trazido basicamente por Uber e AirBnB, o objetivo da economia compartilhada é fazer um melhor uso dos seus bens e deixar os serviços e produtos mais acessíveis a todas as pessoas, de forma que seja possível fazer mais com menos.

O dia a dia das empresas tem contribuído muito para que esse tipo de serviço seja cada vez mais utilizado, pois cada vez mais os colaboradores são requisitados para mudarem de cidade, país, ou que tenham mais mobilidade. Com isso, a compra de imóveis ou de automóveis nas grandes cidades tem sido cada vez mais inútil, pois as pessoas não sabem onde e como estarão trabalhando no dia seguinte.

Claro que assim como tudo, o surgimento desses serviços veio da necessidade criada pelas próprias pessoas, que estão muito mais desapegadas dos bens materiais e preocupadas com o meio ambiente; sendo estes os reais motivadores desse novo tipo de economia.

O fato da democratização dos serviços permite que as pessoas tenham experiências que talvez elas nunca pudessem ter, pelo alto valor de aquisição. Com produtos e serviços mais acessíveis, as pessoas viajam mais, hospedam-se em casas luxuosas, compram roupas de marca famosas, viajam de jatinho particular, andam em carros novos e de categoria alta, ou seja, hoje as pessoas não precisam ter esses bens para usufruir, é possível alugar ou usá-lo como um produto por um período específico.

E é por isso, meu caro empreendedor, que afirmamos que a economia compartilhada veio pra ficar. Investir neste segmento é praticamente certeza de sucesso! E você consegue iniciar transformando em serviço algo que você já possui: um carro, uma roupa específica, um eletrônico, ou qualquer coisa que possa ser compartilhado como se fosse um “aluguel”.

 

4. Beleza

Não é de hoje que a beleza é um dos segmentos que mais crescem no Brasil e no mundo. Com a chegada das redes sociais e o compartilhamento da vida pessoal com milhares de pessoas diariamente, a preocupação com a beleza e estética passou a ser item básico no dia a dia das pessoas.

Outra mudança trazida por este mundo “big brother”, onde todos estamos sendo filmados, fotografados e compartilhados, foi a preocupação masculina com estes aspectos. Não é à toa que, de uns 4 anos pra cá, é completamente perceptível o aumento de barbearias masculinas e até mesmo espaços masculinos dentro de salões de beleza tradicionais.

Hoje, homens e mulheres possuem orçamento mensal para investir nos cuidados pessoais. Um levantamento feito pela Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal mostrou que o Brasil está em terceiro lugar nas áreas de perfumaria e cosméticos, perdendo apenas para China e Estados Unidos.

Mesmo em tempos de crise, este setor mostrou aumento. As pessoas podem até economizar um pouco, mas nunca deixarão de abrir mão de produtos que as deixam mais bonitas! É um mercado que está em crescimento constante e tende a permanecer assim por muito tempo.

 

Independente do setor que você queira investir, a melhor forma de iniciar algo é pesquisar e planejar. Analise os números, mas preste atenção na projeção. Mesmo se o segmento estiver em alta, analise a curva de crescimento. Os melhores negócios no longo prazo são os com curva de crescimento positiva, ou seja, que pode ser um mercado pequeno ainda, mas que mostre um potencial de crescimento no longo prazo.

Uma outra dica é incorporar tecnologia, inovação e sustentabilidade em tudo o que for investir. O apelo das pessoas, principalmente, pelo bem-estar do planeta e animais está crescendo fervorosamente.

E agora, quais serão os seus planos de investimento para 2019? Conte pra gente a sua visão de mercado, deixando um comentário aqui e compartilhe nossas dicas nas redes sociais!